15 de outubro de 2014

Consumo, logo existo?


Hoje é dia do Consumo Consciente, uma data criada para provocar a reflexão sobre as nossas decisões de compra, cada vez menos conscientes na chamada sociedade “de consumo", descrito por Jean Baudrillard(1) como a nova moral do mundo contemporâneo.

Você já parou para pensar sobre por que parecemos cada vez mais incompletos e precisamos consumir cada vez mais?

Trago aqui algumas reflexões que podem ajudar a entender melhor esse sentimento de incompletude. O ser humano é criador por natureza, faz parte de sua essência criar e transformar o mundo, e realizar-se com suas criações é uma fonte de muito prazer. Se você tem dúvidas sobre isso, basta lembrar da sensação que você tem quando prepara uma refeição especial, faz um desenho, escreve um texto ou cria um brinquedo para se divertir com seu filho. Antes da sociedade industrial, as pessoas eram responsáveis por todas as etapas de produção de suas criações, desde o projeto, passando pela escolha dos materiais até a finalização e acabamento dos produtos que produziam.

A sociedade industrial fragmentou e reduziu a qualidade da relação humana com o trabalho, alienando o ser humano do produto final de suas criações e transformando-o em uma peça de maquinário. Isso fez com que o trabalho deixasse de ser uma fonte de prazer e realização e se tornasse uma forma de ganhar dinheiro para poder usufruir mais tarde, por meio do consumo.

É por isso que muitas pessoas, mesmo tristes e insatisfeitas com seus trabalhos, evitam mudar sua situação e buscar outras oportunidades, pois o dinheiro “compensa” o sofrimento. Com isso, sua fonte de prazer é deslocada para os fins de semana e férias, quando podem sair para fazer compras, comer em restaurantes sofisticados e viajar para países exóticos.

Se você precisa esvaziar o bolso para ter prazer, talvez o primeiro passo seja repensar sua relação com o trabalho. Reveja quanto esse trabalho custa para você em saúde, qualidade de vida, satisfação e outros valores que não são financeiros, mas que somados, podem ter um preço muito alto na sua felicidade. Encontrar realização no trabalho pode ser uma ótima maneira de ter prazer remunerado.

E aproveitando o Dia do Professor, hoje também, recomendo para nós, educadores que desejamos provocar reflexões sobre consumo consciente nesta quarta-feira, o manual do ministério do Meio Ambiente sobre educação para o consumo sustentável, disponível em: http://www.mma.gov.br/estruturas/educamb/_arquivos/consumo_sustentavel.pdf




[1] Para saber mais, leia A Sociedade de Consumo de Jean Baudrillard (Edições 70)

1 comentários:

Luz13 disse...

Gostei do Blog. O Poder e o Dinheiro! https://www.youtube.com/watch?v=_w0aI-c-ZiA&list=UUBvY_tI9xN0wVbBqJMxSr6g